3. 5 — FINALMENTE; O ÚLTIMO ESTUDO PROPEDÊUTICO DA SÉRIE

17/03/2016 13:36

3. 5 — FINALMENTE; O ÚLTIMO ESTUDO PROPEDÊUTICO DA SÉRIE

 

Chegamos; finalmente, ao último passo propedêutico para a Ciência Espiritualista; este passo, assim como toda a propedêutica já apresentada, deve ser profundamente compreendido, pois, o seu sucesso neste estudo depende da convicção desenvolvida sobre a racionalidade do exercício, e se você compreendeu, realmente, todos os passos anteriores, você já deve estar convicto de que deve fazer algo para mudar sua situação de receptor de energias indesejadas que o tornam uma marionete obediente ao comando de mentes desajustadas, seja de encarnados ou desencarnados. Este exercício vai conduzir você a uma situação de maior maturidade espiritual e o levará a adotar a Alteridade.

Os estudos anteriores já fornecem conhecimento adequado para essa adoção; agora você já conhece com mais detalhes, as conexões que se estabelecem com o que estamos denominando “Elos Espirituais”; vou conduzir um raciocínio para que compreenda essa necessidade a partir destes conhecimentos:

Imagine que em um dia frio e chuvoso, com ventos gelados, você está caminhando quando observa em uma calçada, um homem deitado no chão, tendo à mão uma garrafa de cachaça; ele está ressonando, aparentemente tranquilo, mas a visão de um ser humano nessas condições afeta profundamente as pessoas; e o que acontece com as pessoas não é de seu interesse, pois, do seu interesse é o que acontece com você. Como você se sentirá diante deste quadro que pintei? Esta cena deixa você triste? Você sente o desejo de fazer algo, porém, reconhece que não possui recursos para qualquer atitude? Você sente pena desta criatura que mostra toda a indigência que se espalha entre nós? Qual é seu sentimento, você fica indiferente ou sente algo? Faça uma pausa na leitura e analise seus sentimentos atuais e imagine os sentimentos que se desenvolvem em sua mente ao observar uma cena semelhante a esta descrita. Depois da introspecção continue com a leitura.

Agora vamos analisar a sua ação diante deste quadro, não sua ação física, mesmo porque você não pôde fazer nada, você não possui nenhum recurso para agir; então, o que nos interessa compreender é sua ação psíquica; vamos analisá-la com os recursos de análise conseguidos em nossos estudos.

Você, como todas as pessoas normais, ao observar esta cena, pára diante da pessoa que dorme, e creio que sente imensa piedade daquela criatura; você sente profundamente sua impotência diante do que está vendo; seu desejo de ação é bloqueado pela impotência; você fica triste se vendo obrigado a aceitar, que aquela criatura deverá ficar como está; você é obrigado a aceitar que nada pode ser feito. Depois, ao seguir adiante, você analisa a ocorrência e conclui: Oh! Como o Evangelho me afetou; como me sensibilizo com a dor alheia; creio que estou progredindo muito em minha caminhada espiritual; e segue confiante e certo de que seu caminho de ação está correto.

Agora vamos analisar toda a sua ação psíquica, a partir de uma visão espiritualista.

Ao observar a situação descrita, você que caminhava com sua sintonia no canal número 6, por exemplo, e mobilizava determinada energia; você que é um espírito que começa a compreender a necessidade de educação espiritual; que apenas não conseguiu encontrar um caminho verdadeiro, portanto, não consegue, diante do quadro observado, manter-se no canal número 6, pois, com as emoções de tristeza, que são emoções inferiores que se introduziram, à sua revelia, em sua consciência; sua sintonia vibratória sofre uma queda para o canal número 3 ou para o canal número 4 e seu elo espiritual envolve aquela criatura, levando seus sentimentos tais quais se manifestam em sua consciência, porém; a sua mobilização de energia cresce em função do impacto emocional, (depois, quando for conveniente, estudaremos os impactos emocionais e a mobilização de energia, assim como os estados de consciência); caso você se sinta revoltado com a própria impotência, você estará reafirmando àquele sofredor, que nada poderá ser feito para mudar sua situação; enfim, psiquicamente, você e todas as pessoas que o observam; e que desenvolvem o mesmo sentimento, fazem exatamente o que foi relatado por André Luiz, sobre a ação dos obsessores, recorde-se:

— É que, até agora — falou, impassível —, precisávamos dividir o tempo entre pai e filho, e, por isso, localizamos aqui, temporariamente, os onzenários enlouquecidos que, fora do campo carnal, apenas mentalizam o ouro e os bens a que se afeiçoaram no mundo, de modo a nos favorecerem a tarefa. Acompanhando o sovina que nos obedece ao comando, constrangem-no a viver, tanto quanto possível, com a imaginação aprisionada ao dinheiro que ele ama com tresloucada paixão.

No nosso caso, as pessoas que desenvolvem sentimentos semelhantes ao descrito; constrangem aquele indivíduo a viver, tanto quanto possível, com a imaginação aprisionada à sua impossibilidade de mudança nos rumos de sua vida; ele se sente condenado a viver daquele modo, e sem outra alternativa.

Raciocine sobre estas palavras e começará a compreender a necessidade de obediência à alteridade, a respeitar as pessoas sem interferir na vida delas de nenhum modo, observe, também, que este indivíduo está recebendo as influências a que fez jus, assim como o indivíduo do exemplo de nosso estudo anterior, recorde-se:

“Do mesmo modo, quando contemplamos um feito nobre, praticado por alguém, nós podemos, dependendo da pessoa, sentir um amor intenso pelo praticante deste feito, e neste momento, nós assumimos a transmissão e a recepção de energias espirituais no canal 7 ou 8, por exemplo; compreendemos, assim, que a Justiça Divina encaminha a cada um de nós, as influências que cada um fez por merecer”.

Você está compreendendo que receber influências aleatórias é muito inconveniente para você; e do mesmo modo começa a compreender, que você mesmo pode, com suas energias psíquicas, influenciar pessoas de modo positivo ou negativo; e do mesmo modo que você está influenciando uma pessoa; ela, através do mesmo mecanismo energético está influenciando você; portanto, a adoção da alteridade em sua vida será fundamental; você terá de deixar as pessoas em paz, vivendo de acordo com suas escolhas do dia a dia, sem sua interferência, nem mesmo através de suas energias psíquicas.

Compreenda: Os indivíduos que vivem do modo descrito, chegaram a esta situação através das escolhas que fizeram no dia a dia, e somente eles mesmos poderão mudar o destino que construirão para o futuro, através das escolhas que fizerem a partir de agora; você nada poderá fazer enquanto não conseguir atingir a situação esclarecida pelo Mestre Jesus:

Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão.

Compreenda que, enquanto você não se educar corretamente, nada poderá fazer de bem real para os outros. Você tem imperiosa necessidade de compreender o conceito de alteridade.

A alteridade não quer dizer insensibilidade; você, ao estudar o livro Karma a Lei, se inteirou de diversas atividades conduzidas com responsabilidade pelos espíritos que se dedicam ao amparo de quem sofre; você observou que cada missão tem um objetivo que foi traçado por autoridades superiores, e que o grupo de espíritos envolvidos na missão não interfere na vida de espíritos alheios à missão recebida. Sabe por que isso acontece? É que estes espíritos são submissos a uma disciplina que aceitaram livremente, e que obedecem com extremo rigor, mesmo não compreendendo totalmente seus motivos; como você está compreendendo agora; em todas as ações destes espíritos imperam o conselho do mestre Jesus que diz: Hipócrita, tira primeiro a trave de teu olho, assim poderá enxergar corretamente para ajudar seu irmão a retirar um cisco do próprio olho. Compreendeu?

Nós poderemos auxiliar nossos irmãos de caminhada, que vivem de modo semelhante ao descrito, e no momento em que você tiver retirado uma parte da trave que obscurece sua visão, você será convidado a participar de uma fraternidade filantrópica; isso acontecerá quando você já estiver imune a qualquer tipo de manipulação; seja de encarnado ou desencarnado.

Este é nosso último estudo propedêutico, o último estudo preparatório para as atividades que educarão sua mente, que hoje faz você sofrer e maltrata suas emoções, e que depois de educada, sua mente será sua serva obediente. Todo esse preparo é fundamental por dois motivos:

O primeiro é que se compreenda corretamente o que se pretende. O segundo é desenvolver uma forte convicção de que o caminho adotado está correto; e por compreender corretamente o mecanismo de ação seu empenho será o desejado para o seu sucesso.

Quando alguém efetua uma ação e não possui uma sólida convicção, ou seja: não tenha “fé” no que faz, o fracasso é certo; justamente por isso vamos, sempre, estudar profundamente o que pretendemos; portanto, você vai reler este texto mais uma vez antes de seguir adiante, medite sobre as informações contidas, desenvolva a convicção desejada e só depois siga adiante; assim você irá retirar a trave que obstrui sua visão; você se tornará um espírito com conquistas superiores às de hoje, e essas conquista valerão para sempre; você deixará, em definitivo, de ser usado como uma marionete; seja por encarnados ou desencarnados, você conquistará sua libertação.

Em nosso próximo estudo vamos começar a analisar nosso primeiro exercício psíquico.

Desejo muita paz para você.

Recordemos O Espírito Verdade:

Espíritas! Amai-vos; este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo.

Pedro Pereira da Silva Neto


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!